Como as comunidades virtuais mudarão o mundo?

Para os ricos e revolucionários ensinamentos reunidos na biblioteca de Alexandria?
Fogo, destruição e esquecimento.

Para um filósofo como Sócrates, que reunia sua comunidade ensinando-lhes a virtude?
Morte por cicuta.

Para uma comunidade de cristãos reunidos em nome de Cristo?
Perseguição e morte na arena dos leões.

Para um ativista como Gandhi, que reuniu uma nação para lutar pacificamente por seus direitos?
Assassinato.

Para uma reunião de artistas ou ativistas no período da ditadura?
Perseguição, desaparecimento, tortura e …

E assim, a história nos mostra que nunca foi do agrado nem do interesse, dos poderosos “donos do mundo”, verem pessoas se reunindo em comunidades para defenderem seus ideais, para pensarem diferente, para trabalharem juntas por objetivos disruptivos ou revolucionários. A livre reunião de pessoas para pensar, refletir, trocar conhecimentos e experiências, promove a mudança, o progresso, a independência, e isso sempre foi temido por aqueles que estão no poder. Obviamente seu temor é o da perda de poder! E para acabar com estas comunidades quase sempre recorreram a violência como artifício, causando cada vez mais dor e sofrimento.

Mesmo assim, mesmo diante do risco de pagar o preço com a própria vida, a força de resistência humana continuou prevalecendo. A luta jamais cessou e milhares de pessoas em todo o mundo continuaram se reunindo, se levantando e batalhando por mudanças, pela justiça e pelo direito integral de expressão e manifestação humana.

Mas, apesar dos grandes progressos e conquistas que já melhoraram muito a condição da vida humana na Terra, creio que ainda evoluímos muito pouco em relação aos grandiosos passos que daremos daqui por diante.

Finalmente é chegada a era da informação! A nova era onde as informações trafegam livremente ao redor do mundo em questão de segundos, e onde todos podem se comunicar livremente. Uma era onde tudo o que é fruto de nossa mente e de nossos pensamentos, nossas ideias, palavras, expressões e conteúdos, podem transitar sem fronteiras na velocidade da luz, em formato de texto, imagem, sons, vídeos, realidade virtual, ou qualquer outro formato digital.

Não precisamos mais nos expor fisicamente para pensarmos juntos! Tudo aquilo que antes era fácil de perseguir e destruir, agora se tornou praticamente impossível, e isso muda muito as regras do jogo de poder na sociedade. Comunidades não podem mais ser aniquiladas, informações não podem mais ser censuradas nem controladas. Não precisamos mais nos submeter à programações impostas pela mídia tradicional, aquela da via de mão única que nos torna meros espectadores, sempre nos preparando para sermos conduzidos pelo que eles pretendem que pensemos e façamos.

Mas isso está acabando! Agora podemos escolher quais informações consumir, a qual momento, de qual tópico, em qual comunidade, com qual propósito. Enfim, finalmente estamos livres para escolher e construir nosso caminho de aprendizado e autodesenvolvimento, escolher a quais comunidades virtuais e reais nos uniremos, quais ideias debateremos, quais ações promoveremos em busca da construção de um mundo cada vez melhor para toda a sociedade.

Creio que os tempos atuais são apenas o início daquilo que sempre sonhamos para o mundo! Agora temos as ferramentas necessárias para a transformação. O potencial é enorme e tenho muita esperança no futuro. Confio na capacidade humana para se transformar e superar os seus próprios limites.

Que possamos nos reunir online, expor nossos problemas, pensarmos em conjunto, chegarmos a decisões mais acertadas em ambientes eletrônicos absolutamente seguros, até que, enfim, nossos projetos atinjam maturidade suficiente para que possamos partir para a sua implementação física.

É claro que ainda temos muito para aprender, no que diz respeito a como lidar com tanta quantidade de informação disponível, como manter o foco, como sermos produtivos e organizados em nossos debates, como não transformarmos os meios digitais em mais um palco para o desentendimento, a guerra e a disputa de vaidades, mas sim, em um palco para a filosofia e o progresso, tal como as tribunas e as praças da Grécia antiga.

Tenho fé que encontraremos o nosso caminho! E viva a tecnologia.

Mateus Lopes

Sou engenheiro de software e desenvolvedor web e cloud, sou um apaixonado por tecnologia. Sou músico e ator por puro amor. Sou filósofo por filosofar, e espiritualista pela razão e dedução lógica das leis naturais. Sou meditador, praticante de yoga, estudante da vida e do amor. Sou um pouco de tudo o que já estudei e vivi, mas sou também todo o universo do potencial que há em mim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *