DEUS = AMOR


Deus é estritamente igual a Amor.
Isso significa que simplesmente não há diferença entre essas duas palavras. Pois ambas expressam exatamente o mesmo conceito.

Deus não é uma entidade separada que ama, mas é o próprio Amor agindo com sua infinita inteligência, a criar e transformar toda a sua criação através da interação amorosa dos seres nas diversas esferas de existência.

Imaginem dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio flutuando no ar solitariamente, ‘sem amor’. Nada produzem, nada são.

Então vem o amor e eles se amam, unem-se inteligentemente através da atração do amor e formam uma molécula de água. A fonte da vida!

Eis uma obra do amor no plano atômico!

Quando digo ‘sem amor’ para as moléculas solitárias, digo somente para sua esfera atômica de existência, pois o próprio amor atua também na esfera subatômica, unindo quarks, mésons e pósitrons, através da força do amor, sustentando a existência do próprio átomo.

Até onde nossa ciência divulga seus conhecimentos, sabemos também de outros planos mais finos onde supercordas de vibração dão origem a elementos ainda mais básicos! Cada corda, de acordo com sua freqüência de vibração, encontra afinidade (amor) com outras cordas de diferente vibração, porém harmônicas, através da lei da ressonância.

Até onde podemos dizer, com nosso ínfimo conhecimento científico dos mistérios divinos, quais esferas da vida ainda descobriremos?

Continuando a análise do Deus = Amor Inteligente partindo da nossa molécula de água formada anteriormente, podemos dizer que o objeto da união atômica, vive agora no plano molecular e também possui a possibilidade de amar em sua esfera de existência. Através do amor interage e troca com outras moléculas formando uma imensa variedade de formas com diferentes características de interação. Água salgada, água doce, água mineral, entre outras variedades.

Seguindo ainda a lei do amor, as moléculas se amam e formam macro-moléculas.
As macro-moléculas se amam e formam estruturas, sistemas, grupos de elementos organizados e vivos no amor, e assim por diante nas várias esferas da vida, passando pelo homem até o plano macro-cósmico, e prosseguindo até onde não conhecemos, dando origem e transformado toda a vida num processo eterno e ininterrupto.

O próprio universo permanece num sistema coeso e harmônico através da força de união inteligente do amor, que atrai os corpos em torno de si, de acordo com sua grandeza. Gravidade! A Terra e todos os planetas giram em torno do Sol, pois se amam, e se mantêm unidos por uma força de atração que chamamos gravidade. Mas gravidade é apenas um nome para um conceito, revelado através da matemática, e que nos serve enquanto utilização prática científica. Mas, o Amor é a inteligência divina que produz o objeto dessa matemática.

O Amor é o que chamamos de Deus.

Sabendo que o Amor é a essência da vida e é a causa primária de toda a criação, habitando e trabalhando de forma onipresente em todo o infinito, devemos tomar de vez essa bandeira e partirmos definitivamente para a prática diária em busca de viver intensamente essa lei.

A única lei deixada por Jesus:

AMAI A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS
E AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO.

Ou como dizem alguns mestres de diferentes religiões do mundo:

Cristianismo – “Tudo quanto queres que os outros façam para ti faze-o tambem para eles”.
Confucionismo – “Não faças aos outros aquilo que não queres que eles te façam”.
Budismo – “De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes: com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber e sendo tão fiel quanto à sua própria palavra”.
Hinduísmo – “Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor”.
Islamismo – “Ninguém pode ser um crente até que ame o seu irmão como a si mesmo”.
Judaísmo – Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso”.
Taoísmo – “Considera o lucro do teu vizinho como teu próprio e o seu prejuízo e o seu prejuízo como se também fosse teu”.
Zoroastrismo – “A natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos”.
Jainismo – “Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor, precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos”.
Sikhismo – “Julga aos outros como a ti mesmo julgas. Então participarás do céu”.

4 comentários sobre “DEUS = AMOR

  1. Absolutamente fantátisco!
    Interessante e muito bem feito o paralelo entre o amor e a nossa ciência.
    Fico com esperança de que um dia, esse mesmo raciocínio amor=deus seja reproduzido para todas as outras coisas do nosso dia a dia.
    Imagina se todo mundo conseguisse enxergar o amor em tudo e entender o mundo dessa forma. Tudo seria melhor e não estaríamos
    vivendo atrocidades de hoje em dia.

    abraço

  2. Um texto cientificamente espritual… ou um texto espiritualmente científico? De qualquer forma, amei. Obrigada!!
    Bjs,

  3. o mais engraçado é que eu menino era viciado em física (ainda sou, mas tô aposentado hahah) e, então, quando me limitava a conhecer a esfera atômica, eu costumava dizer “Deus é a eletricidade”. Justamente essa atração criadora e mantenedora da vida. Nós concordamos, Mateus. Ainda que eu me alcunhe um ateu, nós concordamos :D

  4. que a Luz divina esteja em toda mente encarnada e desencarnada para que tuas palavras se tornem realidade o mais breve possível. Parabéns pelas conjecturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>